blog

Como montar um bom portfólio

por Denise Saito

Última atualização

11 de Maio de 2022

O portfólio é uma ferramenta indispensável pra quem trabalhar de forma independente. É com ele que seus potenciais clientes vão entender o que você faz e como você pode ser útil. Mas a gente sabe que não é uma missão fácil tirar isso do papel – criar um site envolve muito planejamento, e uma imersão dentro de si que nem sempre estamos preparades. Já tivemos até curso específico pra falar sobre isso. Por isso, separamos 7 dicas pra te ajudar nesse processo.

Dicas para um bom portfólio

1. Apenas faça

A pior coisa que você pode fazer é NÃO fazer um portfolio. Fica muito difícil pros clientes saberem o que você faz e se você tem talento se não virem seu trabalho. Mas não é porque tem que fazer, que você vai fazer mal feito. Evite jogar arquivos no Google Drive ou Dropbox, enviar links avulsos com seus projetos, JPGs soltos no corpo do e-mail. Isso só piora sua percepção profissional. Um PDF bem organizado, bem diagramado e feito com cuidado já ajuda muito – nesse cenário pelo menos você mostra que parou pra selecionar e vender seu trabalho.

2. Menos é mais

A primeira coisa que você pode pensar é "Vou colocar tudo que já fiz na vida pra mostrar quão versátil eu sou." Não caia nessa. Opte por mostrar apenas o seu melhor, o supra-sumo, aquilo que você tem orgulho de verdade. O tempo médio de permanência num portfólio é de 2 minutos, por isso é importante ir direto ao ponto. Dê preferência pela qualidade acima da quantidade.  

3. Escolha um template que se adeque ao seu tipo de trabalho

Os construtores de site sempre têm centenas de opções pré-prontas para te ajudar nesse processo. Se você trabalha com fotografia, escolha um template que valorize mais as imagens, se trabalha com conteúdo ou estratégia, opte por templates com mais áreas de texto. Também é interessante buscar referências e ver como outras pessoas da sua área apresentam seus trabalhos.

4. Conte sobre você

Fale um pouco sobre você como um todo, sobre seu profissional e seu pessoal. Ou, em palavras mais chiques, sobre suas hard skills e suas soft skills. Hard skills são suas habilidades técnicas, por exemplo, produção de conteúdo, fotografia, edição de vídeo, direção criativa. E as soft skills são as habilidades inerentes à sua personalidade, como liderança, gestão, curiosidade, empatia. Ambos são super importantes para te entender como profissional.

5. Encare como um trabalho

Eu sei, fazer portfolio (e manter atualizado) é super trabalhoso. Por isso, é importante encarar como um trabalho. Coloque na sua agenda e separe um tempo pra fazer isso todos os dias. Considere que você vai precisar separar seus trabalhos, escrever textos, produzir imagens, montar um site e, não menos importante, divulgá-lo.

6. Crie materiais extras

Sabe quando você fez um trabalho muito incrível mas chega na hora de colocar no portfolio e parece que não tem nada decente pra mostrar? Pois é, isso acontece muito. Solução? Criar peças extras só pra incluir na sua pasta. Você vai precisar abrir todos arquivos antigos e fazer o que você não fez naquela época. Pros designers, fazer mockups e artes novas. Pros estrategistas, encontrar imagens pra ilustrar o seu raciocínio. Para os videomakers, separar assets que expliquem o resultado final. Sim, é trabalhoso, mas dessa forma você consegue explicar seu trabalho de forma muito mais eficiente.

7. Peça a opinião das pessoas

A gente tem mania de querer fazer tudo sozinho e não pedir opinião dos outros pra “não atrapalhar”. Mas a verdade é que amigo de verdade tá sempre disponível para nos ajudar. Mande seu portfólio, mesmo que inacabado, para alguém que trabalha com algo parecido que você. O ideal é que sejam pessoas com senso crítico, que consigam dar um feedback técnico relevante. Ouça o que elas tem a dizer e leve em consideração aquilo que te convém. Sim, o que te convém, porque a gente não precisa levar a opinião dos outros como verdade absoluta.‍‍

Conselhos de quem entende

Conversei com o Felipe Rocha e o Leo Porto, ambos designers e fundadores do estúdio Porto Rocha de Nova Iorque, para entender o que eles mais reparam num portfolio na hora de contratar alguém. Eles trazem um ponto de vista bem técnico sobre o tema e esse conteúdo é bem específico para designers.‍