Salário fixo, tem que ter?

10 de Novembro de 2020

por Denise Saito

Eu expliquei aqui como faz pra chegar num valor pro seu salário mas aí talvez você tenha visto o passo a passo e pensado "Nossa, nunca vou parar pra fazer isso". Pois é, então esse é o momento que eu pego na sua mão, olho nos seus olhos e te digo o porquê você deveria sim ter um salário fixo.

Me convença se puder

1. Você sempre sabe quanto dinheiro terá no mês seguinte.

Sabe aquela ansiedade de não saber se mês que vem vai dar pra pagar os boletos? Ou se no mês seguinte você vai ser despejado de casa por não conseguir pagar o aluguel? Pois bem, esse medo nunca mais. Com um salário fixo você sabe exatamente quanto dinheiro vai entrar, e quando. Claro que só ter um salário fixo não garante que seu fluxo de caixa estará cheio, mas esse assunto é pra outro dia.


2. Você sabe quanto gasta por mês.

Lembro que quando eu era freela e não tinha um salário fixo, os clientes iam pagando e eu ia gastando. Quanto mais ganhava, mais gastava. E no mês que não entrava nada, era um sofrimento. Eu sabia mais ou menos quanto gastava no fim do mês porque já fazia um controle, mas cada mês essa quantia variava muito. Ter um salário fixo mantém seus gastos mais constantes e estáveis, assim fica fácil prever os meses seguintes. Saber quanto você gasta, define quanto você precisa ganhar, e saber quanto você precisa ganhar, define o quanto você cobra dos clientes. Ou seja, ter um salário te ajuda na hora de fazer um orçamento.


3. Você tem uma data certa pra pagar as contas.

Não tem aquela história de deixar todas contas pra última hora esperando o dinheiro cair. Se você tem um salário fixo, e o mínimo de controle financeiro, a conta vem e você paga na hora porque o dinheiro já está na sua conta esperando pra ser usado.


4. É melhor pra sua empresa.

E já que sua empresa é você mesmo, é muito melhor pra você e pra sua saúde mental. Pensando como um dono de empresa, imagina seus funcionários não terem um salário ou um dia de pagamento fixo. Seria o caos! Pra saúde da sua empresa é muito melhor ter um valor e um dia fixo, assim o planejamento fica muito mais fácil.


5. É muito mais responsável.

Pagar seu próprio salário – tem coisa mais madura que isso? Quando você chega no ponto de entender que você é uma empresa e um funcionário ao mesmo tempo, separa suas contas PF e PJ e tem um salário fixo, você se formou na Escola do Freelancer. Depois disso, só te resta se pagar plano de saúde, férias e décimo terceiro e esfregar na cara da sociedade. Verdade seja dita, me sinto a mais adulta pagando um salário pra mim mesma.

6. Faz você se valorizar mais como profissional – e consequentemente te traz mais dinheiro.

Se você enxerga a si mesmo como uma empresa com responsabilidades, com um funcionário a pagar, boletos e tudo mais, você começa a olhar pra si de outra forma. Valorizar a si mesmo é muito importante pra crescer profissionalmente. Você começa a entender que precisa cobrar mais pra pagar todas essas contas, e que pra cobrar mais precisa fazer um trabalho melhor. E isso é um ciclo sem fim de evolução de todos os lados. Ter uma vida financeira organizada traz muito mais benefícios que só uma planilha bonita. Se você souber usufruir mesmo dos benefícios, essa organização pode te trazer muitas melhorias na sua vida como freelancer.

Fica, vai ter aumento

E freela tem aumento? Tem participação de lucros? Sim e sim, mas isso só depende da saúde financeira da sua empresa. Não dá pra se dar aumento se sua empresa não consegue pagar por isso. E não dá pra ter participação de lucros se não tem lucro.

Existem dois tipos de aumento: o primeiro é uma atualização do seu custo de vida e o segundo é uma bonificação.

O primeiro tipo é algo que certo dia parei pra pensar com meus botões e me cheguei à conclusão de que faz sentido.

A gente sabe que existe a inflação, certo? Todos os anos nossa vida fica um pouquinho mais cara. Os produtos no mercado sobem de preço, o aluguel da casa sobe de preço, ou seja, nosso custo de vida sobe de preço. E isso tudo é recalculado com base na inflação. Então nada mais justo que recalcular nosso salário com base no mesmo índice.

Por exemplo, digamos que em 2019 meu salário era de R$5.000 (números fictícios por enquanto, mas em breve você saberá os números reais). Em 2019, a inflação fechou em 4,31%, logo em 2020 minha vida ficaria 4,31% mais cara. Calculando 4,31% de 5.000, dá 215,50. Então, em 2020, o ideal seria que meu salário subisse pra R$5.215,50. Tcharããããnnnn, eu ganhei um aumento!

O segundo tipo é uma bonificação, ou seja, você é um excelente funcionário, seu chefe te valoriza muito e vai te dar um aumento. Nesse caso, só depende da saúde financeira da sua empresa e chegar nesse valor é na base do "quanto eu quero ganhar". Acha que tá merecendo ganhar R$200 a mais? Pode. R$500 a mais? Pode. R$1.000 a mais? Também pode. Desde que sua empresa possa arcar com isso a longo prazo! Nunca tome decisões que não serão sustentáveis no futuro.

E a participação de lucros? Aí é só pros Freelas com Pós-Doc. Nem eu cheguei lá, e ainda tô bem longe. Depois que você já tiver um fluxo de caixa fechado, com uma quantia equivalente a pelo menos um ano do seu salário guardado, aí o que entrar extra no ano pode ser repartido como lucro para os sócios. No seu caso, você. Exemplo: meu salário é R$5.000. O dia que meu fluxo de caixa tiver um ano de salário (5.000 x 12 = 60.000), todo faturamento extra no ano pode ser depositado, em Dezembro, direto na minha conta PF. Siniistroo! 😂

Agora, o primeiro tipo de aumento que comentei é algo bom e necessário de se fazer. Se você não se der esse aumento, vai chegar uma hora que você vai gastar mais do que seu salário e as coisas não vão caber nas caixinhas de antes. Seja um bom chefe e recalcule seu próprio salário em relação à inflação, pelo menos de dois em dois anos. Você merece.

⟵ Voltar

Quer receber notificações sobre novos conteúdos e iniciativas?

Tudo certo! 👍🏽
Ops! Algo deu ruim ☹