blog

Reserva de emergência e aposentadoria

por Denise Saito

Última atualização

07 de Junho de 2022

Se pudesse resumir a tríade do sucesso freelancer, diria que são: separação PF e PJ, salário e reserva de emergência.


A reserva não traz paz apenas para o bolso, como também para a cabeça. No final das contas, tudo termina em pressão psicológica e a reserva garante que você tenha uma carreira mais tranquila e uma saúde mental mais equilibrada.

Eu quero isso aí

A primeira coisa que você precisa é saber é seu custo de vida. Se você ainda não fez isso, volte duas casas e faça. Digamos que você identificou que seu custo de vida mensal é de R$5.000, seguimos para o passo a passo.

1. Defina de quanto será sua reserva.

Geralmente se aconselha pegar seu custo de vida e multiplicar por 6. Nesse exemplo, R$5.000 vezes 6 dá R$30.000. Esse é o objetivo. Alguns consultores financeiros dizem que pra quem é autônomo é melhor ter até um ano de salário guardado, mas eu sei da dificuldade e acredito que 3 meses já é um excelente começo.

2. Defina quanto você irá guardar mensalmente.

Quanto você vai juntar por mês é muito pessoal, mas acho que qualquer valor entre 10 e 30% é justo. Considerando 10% de R$5.000, seria R$500. 30%, seria R$1.500. Ou seja, qualquer valor entre R$500 e R$1.500 investido mensalmente está ótimo. A diferença é que quanto menor for o valor, mais tempo você vai demorar pra juntar a Reserva toda.

3. Inclua esse valor mensal no seu salário.

Digamos que você definiu que vai investir R$500 por mês. Se seu custo de vida é R$5.000, então seu salário será R$5.500. Este é o valor que vai para a planilha da sua empresa e que você tem que considerar na hora de cobrar pelos seus trabalhos.

4. Veja o que faz sentido pra sua empresa.

Desses valores que falamos, qual sua empresa consegue pagar com mais certeza? Não adianta nada definir um valor alto pra ter um salário maior mas não conseguir sustentar a longo prazo. Falamos mais disso aqui, mas o valor que você definir pra sua reserva e pro seu salário tem que caber dentro das contas da sua empresa. Se ficar difícil, recalcule.

5. Calcule quanto tempo vai demorar para concluir a reserva.

Nesse exemplo você decidiu formar uma reserva de R$30.000 e investir R$500 por mês. Nesse caso, você demoraria 60 meses pra completar sua reserva, ou seja, 5 anos. Demora um pouco mesmo mas vale a pena. Pode ser que te dê um pouco de nervoso fazer essa conta e ver que vai demorar tanto tempo pra chegar lá mas o que importa é começar e ir aos poucos. Uma hora você chega lá!

6. Defina onde deixar essa grana.

O ideal é deixar a reserva num lugar que possa ser resgatado com rapidez, que não te cobre altas taxas por isso e que ainda dê um rendimento legal. As alternativas mais imediatas pra esse caso são a poupança, uma conta digital como o NuBank e o Tesouro Selic. Os bancos digitais costumam ter um rentabilidade melhor que a poupança e são fáceis de usar e resgatar.

E lembre-se: a ideia é só usar a reserva para emergências. Se você quiser investir em outras coisas, separe em caixinhas diferentes. O ideal é resgatar naquele momento que você não vai conseguir pagar seu salário ou pra cobrir alguma despesa inesperada. Depois que você descobrir as maravilhas que ela pode fazer por você, sua vida nunca mais será a mesma.

E a aposentadoria?

Pra mim, aposentadoria como freelancer sempre pareceu algo muito inatingíveis, complicado e quase impossível. Quando fazia as contas, me dava um pouco de palpitação imaginar a quantidade de dinheiro que teria que acumular ao longo da vida.

Claro que precisei de uma ajuda nesse tema e convidei a Aninha e a Vic do Invista Como Uma Garota pra conversar sobre isso.