blog

Como começar a vida de freelancer

por Denise Saito

Última atualização

11 de Maio de 2022

O começo da vida de freela é sempre meio caótico – nada prepara a gente pra isso. Ninguém ensina sobre isso na faculdade, nos empregos ou nos livros. A gente entende como a coisa funciona mesmo na prática. Por isso, vou te dar 8 dicas pra esse início de carreira, entre coisas mais fáceis e mais difíceis de colocar em prática. Se você conseguir seguir alguns desses conselhos, a sua jornada como autônomo vai ser bem mais tranquila.

8 dicas pra se tornar freelancer

1. Seja humilde mas tenha ambição

Ninguém sai da faculdade ganhando R$5.000, assim como nenhum freelancer começa a carreira solo com um agenda lotada de clientes. No começo, vai ser difícil conseguir trabalhos  legais que te encham de orgulho. Nessa fase, a gente precisa se contentar com projetos menores, clientes chatos, processos lentos, pra evoluir aos poucos. Mesmo assim, acredite na sua capacidade de crescer e no seu talento. Valorize a si mesmo. Se você tem uma habilidade, se aproprie dela, tenha orgulho, mostre pro mundo. Saiba que hoje você está aqui mas amanhã  pode ir muito longe.

2. Tenha empregos fixos antes de virar freela

Se você sair da faculdade e logo decidir trabalhar sozinho, a chace de expandir sua rede é muito pequena. Você vai sair de um lugar onde o mercado não te conhece pra outro onde as pessoas ainda não te conhecem. Pra ser autônomo, é muito importante conhecer pessoas e mostrar pra elas o que você faz. O primeiro emprego não costuma ser o mais incrível, mas te leva ao próximo e ao próximo, e cada lugar por onde você passa é importante. Cada pessoa que você conhece pode ser uma ponte para potenciais clientes que virão lá na frente.

3. Comece fazendo freelas em paralelo ao trabalho fixo

Nem sempre será possível mas, se você tiver a opção, comece fazendo freelas em paralelo ao seu trabalho fixo. Isso te dará a oportunidade de vivenciar a dinâmica de um trabalho independente e desenvolver habilidades como autogestão, atendimento, autocrítica, controle financeiro, entre outros. O que muda na hora de se jogar 100% na vida freela é que você precisará cobrar mais ou conseguir um volume maior de clientes para garantir seu salário. Por isso, já ter uma experiência como autônomo te dará mais noção de quanto cobrar e quantos projetos pegar por mês.

4. Mostre sua veia empreendedora.

Não tô falando de abrir uma startup e ir pro Shark Tank. Empreendedor é aquele que vê oportunidade onde os outros vêem problemas. Costumam ser pessoas criativas, com capacidade de autogestão e resilientes. Essas também são características de freelancers, afinal a gente é um tipo de empreendedor em menor escala. Mostre pras pessoas essas características e aproveite para aperfeiçoa-las. Proponha coisas novas no seu trabalho, tenha projetos pessoais, se junte a amigos pra criar algo legal. Quando a gente empreende, acaba exercitando muitas habilidades que estão fora da nossa caixinha – e as pessoas ao nosso redor reparam nisso.

5. Aceite (alguns) trabalhos de vitrine

Pra ser um freela de sucesso, você precisa de clientes. Pra ter clientes, você tem que ter um trabalho muito bom. Pra ter um trabalho muito bom, você precisa de experiência. Pra ter experiência, você precisa praticar. E pra praticar, muitas vezes, a gente precisa se submeter a um modelo de mercado que talvez não concordemos: ganhar pouco ou nada pelo nosso trabalho.

Iniciantes não são valorizados e isso é uma questão estrutural. Então, nesse cenário, o que podemos fazer é nos encaixar no sistema – aceitar trabalhar por pouco pra ganhar experiência, aperfeiçoar habilidades, estilo e linguagem, mas fazer isso com consciência e propósito. Tenha em mente que essa é uma exceção e não deixe que isso se torne uma regra.

6. Tenha projetos pessoais

Projetos pessoais são aqueles que você cria por prazer ou vontade, e não pra ganhar dinheiro. É algo que nasce dos seus gostos e expressa seus valores e aspirações. A Freela School, por exemplo, começou como um projeto pessoal e acabou se tornando um negócio. Pode ser algo que você faz só como passatempo – como fazer um desenho por dia, por exemplo –, ou algo que tenha um propósito maior – como uma iniciativa social. O legal é que ter um projeto pessoal, te obriga a exercitar seu lado empreendedor e a pensar em outras coisas que não pensaria normalmente. Também é uma forma de divulgar seus talentos e interesses, aumentando o alcance do seu marketing pessoal.

7. Organize suas finanças

Pra fazer uma transição tranquila e não sofrer tanto, é sempre bom ter uma reserva de emergência pra te ajudar caso não entre dinheiro. Nem todos freelas que conheço fizeram isso (incluindo eu 🤡) e se jogaram no mundão da independência com pouca grana no bolso. Pode dar certo, mas o sofrimento é bem maior. No começo, quando você ainda não tem tanta confiança e experiência, o psicológico pesa bastante, por isso se organizar financeiramente é tão importante. Eu falo mais sobre isso no artigo de saúde financeira e mostro como uma planilha pode mudar sua vida.

8. Declare independência e conte pro mundo

Parece óbvio, mas às vezes precisamos dizer o óbvio: conte pras pessoas que você virou freela. Crie um portfolio bem bonito, comunique entre os amigos e as pessoas chave (tipo aquele ex-chefe que te ama, ou a amiga empreendedora que conhece meio mundo). Faça as pessoas saberem que você está disponível. Vá além do Instagram e Facebook. Hoje o Linkedin melhorou muito suas métricas e tem sido uma ferramenta importante de divulgação. Se você trabalha com artes visuais, atualize o Behance, se aventure no Pinterest. Não tenha vergonha de mostrar o que você faz. E quando for ver, você virou freela. Já tá dentro do jogo.‍‍

Me mostra o caminho das pedras

Precisa de mais uma ajudinha pra começar? Então vou te orientar sobre os nossos conteúdos mais importantes pra você ler, assistir, anotar e revisar de trás pra frente.

Como montar um bom portfolio: Essa é sua vitrine, por onde seus clientes vão chegar, por isso é super importante se dedicar a isso

Como conseguir clientes: Conseguir clientes começa muito antes de virar freela e aqui eu dou 15 dicas de como aumentar suas chances de ser contratado.

Como organizar suas finanças: Tudo que você precisa saber e fazer pra não sofrer com a imprevisibilidade da vida de freela.

Como calcular seu salário: Sim, freela tem salário! E se você entender esse conceito de ser empresa e empregado cedo, vai ser ótimo pra sua carreira.

Como cobrar: É um dos maiores desafios da vida freela, por isso é bom começar a praticar desde já!

Como fazer uma proposta: Uma proposta bem feita transmite profissionalismo e maturidade – e não é porque você é iniciante que tem que não pode ter uma proposta incrível!

As desvantagens e desvantagens de ser freelancer: Tem muita coisa difícil nesse estilo de vida e é sempre bom entrar nessa consciente das dificuldades. Mas pra não ficar só no perrengue, também tem muita coisa boa!

Não acaba por aqui

Pra complementar tudo que eu falei, é sempre legal ouvir a experiência de outras pessoas com histórias diferentes. Por isso conversei com a Joana Mendes e o Rudah RIbeiro pra entender como foi o começo da vida de autônomo deles.‍